domingo, 18 de março de 2012

MORTES EM JUIZ DE FORA/MG


Duas jovens de 19 anos morreram soterradas no Bairro Linhares, Zona Leste de Juiz de Fora, na manhã deste domingo (18). Os corpos de Larice Aparecida da Silva Quina e Ana Beatriz Varela foram encontrados por volta das 11h, na casa de nº 353 da Rua Roberto Hargreaves. O deslizamento de terra, que ainda atingiu outras duas residências, ocorreu por volta das 7h, quando o Corpo de Bombeiros foi chamado. Depois de quatro horas de trabalho de cerca de 30 bombeiros, os corpos foram retirados próximo ao quarto de Larice, que trabalhava como atendente do Samu e estava hospedando a amiga Ana Beatriz em casa. Nesta parte do imóvel, a lama chegou até quase o teto, o que dificultou os trabalhos dos bombeiros. A tragédia provocou muita comoção entre os vizinhos, principalmente quando os corpos foram retirados do imóvel. O acidente pode ter sido provocado por um vazamento de uma rede de água da Cesama na Rua Vera Lúcia, que fica acima de onde a terra começou a descer, mas só um laudo da Polícia Civil poderá apontar as causas. Quatro residências estão interditadas até que a Secretaria de Obras inicie os trabalhos no local, o que deve começar a acontecer nesta segunda-feira (19).
Na casa onde os corpos foram retirados também estava uma mãe com duas crianças pequenas, que conseguiram escapar. De acordo com o assessor de comunicação do Corpo de Bombeiros, capitão Marcos Santiago, o deslizamento derrubou paredes dos fundos, e a lama invadiu todos os cômodos. "Foi um volume muito grande de terra que veio sobre a residência." Nos outros dois imóveis, apesar da grande quantidade de terra que desceu da rua de cima, não houve feridos. Em um deles, os entulhos tomaram conta de quase toda a casa, exceto do cômodo onde um homem estava. "Estava dormindo sozinho, pois minha mulher estava viajando. Acordei com o barulho, parecendo uma chuva de pedras. Quando vi, percebi que a casa estava destruída com os entulhos que desceram. A cozinha acabou", disse Vilmar de Oliveira. No mesmo lote, mas no imóvel da frente, um quarto foi invadido. "Usamos esse cômodo para guardar entulhos. Então, não havia pessoas aqui. Moro neste local há mais de 30 anos e nunca poderia esperar uma coisa dessa", disse José Luiz Maton Bertoloze. "Parece que um avião tinha caído em cima da casa", resume Denise Aparecida Afonso Neves, que mora poucos metros acima do ponto do deslizamento.
Policiais militares e guardas municipais ajudaram a isolar a área e tiveram que controlar a movimentação de curiosos. O tráfego de veículos foi interrompido nas ruas Roberto Hargreaves e Vera Lúcia. Os bombeiros foram aplaudidos pela população após o término dos trabalhos, no início da tarde. Peritos da Polícia Civil e cerca de dez técnicos da Defesa Civil realizaram vistorias no terreno. O diretor-técnico da Cesama, Joaquim Tarcísio Guedes Tostes, esteve no local e confirmou que uma equipe havia sido chamada por volta das 6h, quando teria sido desligada a rede de água. "Moradores nos acionaram devido a um vazamento na rede de distribuição de água na Rua Vera Lúcia. Por volta das 6h, não sei se antes ou após o deslizamento, uma equipe da Cesama veio até o local e fez o fechamento da rede nesse trecho. É prematuro apontar os motivos (do deslizamento) agora."
Conforme uma moradora, uma tubulação na Rua Vera Lúcia teria estourado durante a madrugada. O representante da companhia de abastecimento ponderou que apenas um estudo mais profundo e a perícia da Polícia Civil poderão apontar as reais causas do deslizamento.
O prefeito Custódio Mattos também foi ao Linhares para prestar solidariedade às famílias das vítimas e disse que a Prefeitura irá prestar apoio psicológico e social aos parentes. "A nossa cidade tem muitas áreas como esta, e são prioridade sempre. Não por acaso, depois de dois anos de luta, conseguimos R$ 16 milhões para tentar evitar escorregamentos como esses."

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário